Category

Intercâmbio

Category

Aluguel em Cork é mesmo tão complicado?

Bom, essa é a pergunta que eu respondi no vídeo de hoje, finalmente liberado no nosso canal – já está inscrito?

Essa é uma das maiores preocupações para quem está se preparando para vir ou já chegando na cidade, então eu tentei explicar um pouquinho sobre o processo de aluguel em Cork e falar sobre a realidade e condições de moradia por aqui. Um dos vídeos/posts mais pedidos finalmente no ar!

Gente, eu morro de vergonha de fazer vídeos então, sejam bonzinhos comigo e me deem audiência, ok? 

Aperta o play aí!

 

 

Nevasca em Cork: sonho ou pesadelo?

Se vocês me acompanham no Instagram (se não, tá esperando o que? Clica aqui!) sabem que Cork parou com a chegada da neve na semana passada e foi lindo. Sim, foi lindo. O verde se tornou branco, crianças correndo felizes, adultos voltando a ser crianças e a vida ficou mágica do dia para noite.

Nevasca em Cork

Nevasca em Cork

Não vou entrar em termos técnicos nem nada, mas o fato é que é totalmente incomum nevar na Irlanda, ainda mais na proporção em que foi vista. O que causou essa loucura no clima foi o fenômeno conhecido como The Beast from the East, um vórtice polar que trouxe temperaturas negativas direto da região da Sibéria. Ao mesmo tempo, uma tempestade nomeada de Emma veio de encontro e… o resto é história!

E por falar em história, eu jamais imaginei viver esse momento histórico! Histórico pelo menos para mim rs. Não foi a primeira vez que eu vi neve – morei nos EUA por 2 anos – mas a quantidade de neve que eu vi aqui foi impressionante!

Quando eu vi a previsão do tempo na semana retrasada eu dei de ombros e ri, pensei comigo mesma “ah, vai cair meia duzia de floquinhos como da ultima vez, há umas semanas atrás”. Dias depois notei um alarde anormal, pessoas correndo para os mercados, fazendo estoque de comida e eu pensei que o mundo ia acabar e eu não tinha sido avisada. Avisos foram emitidos e as pessoas estavam se preparando para o pior. Mal sabia eu…

NEVASCA EM CORK: SONHO!

Quando ela finalmente chegou eu fiquei encantada com a vista e ela transformou completamente o visual do meu bairro. A região aqui é alta e os morros são cobertos por um cobertor de grama verde que é inacreditável. Ilha Esmeralda é apelido!

O verde ficou branco, os telhados das casas cobertos de neve, árvores com seus galhos cheios, bolas de neve, bonecos de neve, frio… tudo o que eu realmente não esperava ver. O primeiro dia foi de um encantamento inexplicável, como se fosse a primeira vez.

Nevasca em Cork Nevasca em Cork

Sair na rua foi como sair em um dia de verão: tinha tanta gente na rua, feliz, surpreendidos com a beleza e diversão, cachorros, gatos, crianças… era um misto de alegria com comoção e foi contagiante. A gente saía e não queria voltar para casa: a energia era algo palpável!

NEVASCA EM CORK: PESADELO!

Ver as imagens certamente arranca sorrisos de satisfação com toda beleza. A neve transforma um lugar como num passe de mágica!  Maaas, o buraco é um pouquinho mais embaixo…

A neve me deixou presa em casa por 5 dias. Não moro no centro da cidade, meu bairro (Rochestown) fica a uns 30 min de distância de ônibus. A região é alta, em cima de morros, ou seja, num momento como esse ficamos sem ônibus e totalmente ilhados o tempo inteiro – saíamos para andar pelo bairro, apreciar a vista e voltava para casa.

Como já falei, a Irlanda não recebe essa quantidade de neve regularmente o que deixa o país vulnerável e despreparado. Ainda mais em se tratando do interior. Cork é a segunda maior cidade da Irlanda, mas ainda assim é pequena e é interior. Não tem infraestrutura para receber uma loucura de clima como essa. A cidade parou completamente. Mercados, bares, lojas, transporte público.

Hoje, segunda feira, vai ser o primeiro dia que vou poder sair, pegar ônibus e voltar a rotina. Tesco me espera! A neve é linda, mas pode ser extremamente chata!

Nevasca em Cork

Não sei se veremos esse fenômeno novamente tão cedo, mas o fato é que ainda vai render muitas fotos nas minhas redes sociais. Porque não importa o quão revoltante é ficar ilhada por conta da neve, ela sempre consegue transformar a raiva em alegria com toda sua brancura.

Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork

Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork

Eu não consegui ver o centro de Cork pessoalmente mas o Geraldo (segue ele no insta!) contribuiu com esse post com as fotos maravilhosas que ele tirou lá da cidade! Cork ficou irreconhecível!

Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork Nevasca em Cork

 

Leap Card de estudante em Cork: como conseguir o seu

A vida de um estudante na cidade de Cork é no mínimo corrida e buscamos todas as formas possíveis de economizar em nosso dia a dia, procurando produtos mais baratos, promoções, andando ao invés de pegar um ônibus mas o fato é que nem sempre é possível ou viável deixar o ônibus de lado, não é mesmo?

Na maioria das vezes os estudantes conseguem acomodação e emprego pelos arredores do centro e assim, transporte deixa de ser uma preocupação. Mas ainda tem aqueles que não tem tanta sorte assim e necessitam de uma economia a mais na hora de pegar um ônibus e é aí que entra o Leap Card.

O Leap Card nada mais é do que nosso Bilhete Único (em São Paulo pelo menos). É um cartão em que você coloca créditos e consegue um valor mais em conta na tarifa diretamente no ônibus. O Leap Card qualquer um pode conseguir, basta ir na Bus Station no centro de Cork e comprar o seu. Agora, se você é estudante, a história muda um pouquinho. Eu realmente não sabia disso até precisar.

Não é nada de outro mundo, o que muda na verdade é o local em que você vai adquirir o seu cartão, o Student Leap Card. E, obviamente, por ser de estudante, você tem que apresentar um comprovante da escola – matrícula, carteirinha – para poder fazer o seu. Vamos aos detalhes…

De posse da sua comprovação da escola, você vai se dirigir ao escritório Sayit Office, que fica na Grand Parade, no centro de Cork – use a loja Sayit Travel como referência, próxima ao Soho Bar. Lá você vai preencher um formulário, entregar para o atendente, pagar os 10 euros, tirar uma foto e aguardar uns minutinhos para sair de lá com o seu cartão. É muito simples.

Leap Card de Estudante em Cork

Lembrando que esse Student Leap Card pode ser usado como comprovante de estudo em cinema, lojas, etc e te dar ainda mais descontos.

Outra coisa: se você é um usuário assíduo do transporte público em Cork você pode usar o Monthly Ticket – 67 euros mensais e você tem direito a usar quantos ônibus quiser, sem limite de tempo ou quantidade. É livre para ir e vir a medida que os horários dos ônibus permitirem.

REMATCH: como uma simples palavra pode mudar seu intercâmbio

REMATCH: quando a Au Pair ou a Host Family decidem que o match não está sendo do agrado de ambos, por n motivos, e concluem que o rematch, ou seja, a troca de au pair/familia, seja a melhor solução para os dois lados.

Como muitos aqui sabem, eu já fui Au Pair nos EUA por dois anos e foi meu primeiro intercâmbio, lá atrás quando eu tinha meus saudosos 19 aninhos. E, para quem conhece o programa de Au Pair, sabe que a palavra rematch tem um efeito assustador para quem está começando mas nunca passa pela cabeça de quem embarca nessa aventura de passar por isso. Nunca passou pela minha…

Para resumir o inicio do meu processo, senti uma afinidade muito grande só de ler o perfil dessa família e me apaixonei pelas crianças ao vê-las nas fotos. Na época, dois meninos de 2 anos e meio e outro que teria 3 meses quando eu chegasse. Era uma família que morava na Virginia, na pequenina cidade de Bristow, 40 minutos de DC.

A chegada foi simples mas foi super comemorada. Só a host mom e o bebezinho me esperaram no ponto de encontro e logo em seguida fomos encontrar o host dad e o menino mais velho no shopping para comer uma pizza e me darem as boas vindas.

CHEGANDO NA CASA

Quando chegamos na casa eu fiquei pasma com o tamanho do lugar e a beleza. Pra mim era uma mansão. 5 quartos, uma master suíte mais 3 banheiros na casa, 3 salas (pra que tudo isso?), uma cozinha de filme e um quintal pra pessoa nenhuma botar defeito. (colocaria fotos aqui mas, meu HD queimou com TODAS as fotos do meu intercambio e eu ainda estou na tarefa de recuperá-las).

O meu quarto era no andar da família, tinha o meu próprio banheiro. Quarto era simples, tinha uma comoda com TV e telefone, cama super confortável e um pequeno closet, que eu não demorei muito para me fazer sentir em casa. Como já era noite e eu estava exausta, fui dormir logo e tive uma sono de princesa para acordar no outro dia e começar meu primeiro final de semana na “América”.

COMEÇANDO A ROTINA

Depois de um primeiro final de semana maravilhoso, chegou o primeiro dia de trabalho. Não foi nada fácil. A host mom trabalhava em casa, no andar de cima e o menino, obviamente, sabia disso e não dava sossego para ela. Logo no primeiro dia ela já se enfureceu pelo fato de eu não conseguir segurar o menino na parte de baixo da casa, nem sair com ele eu conseguia. Ele não me ouvia, não obedecia e só queria a mãe. E, é lógico que isso ia acontecer: era meu primeiro dia de fato com ele. O bebê era o menor dos meus problemas, o bonitinho só dormia e deixa minha vida um pouquinho mais fácil.

Aqui já deixo uma dica: ser Au Pair de família onde os pais trabalham em casa não é o fim do mundo, mas não é NADA fácil. Você tem que ter um jogo de cintura e ser muito carismática e criativa para conseguir segurar a atenção da criança e fazer ela se interessar por você e pelo que você está propondo. Ah, e tem que ter muitas ideias, pois eles enjoam muito rápido de uma brincadeira.

COMEÇANDO O PERIGO

O menino mais velho era muito mimado e depois de duas semanas, ainda, só queria saber da mãe que estava no andar de cima. Ele não me obedecia POR NADA NESSE MUNDO! Eu percebia a cara de desprezo que a host mom fazia para mim cada vez que eu tinha que buscar ele no quarto dela e isso me dava um embrulho no estomago. Eu sempre fui muito apegada ao fato das pessoas gostarem de mim e do que estou fazendo então me cobrava muito e receber aquele olhar de desprezo simplesmente me destruía!

Ao passar dos dias ela ia falando menos comigo, sem paciência as vezes e eu fui me sentindo cada vez menor diante da situação. Graças a Deus fiz uma amiga russa, que cuidava de uma menina da mesma idade do meu mais velho e finalmente conseguia fazer playdates mas ainda não era o suficiente.

Até que um dia chego e em casa e encontro a minha LCC sentada na sala.

VOCÊ ESTÁ DE REMATCH

Essas palavras entraram nos meus ouvidos como finas espadas atravessando meu corpo e eu só queria sair correndo. A host mom alegou que eu não estava conseguindo dar conta de entreter o menino e ela precisava de alguém que realmente conseguisse fazer ele esquecer que ela estava lá. Confirmei que não estava sendo fácil mas eu estava dando o melhor de mim e ainda me adaptando ao ambiente, mas se era isso que a família queria, eu não iria me opor.

Os hosts falaram que gostavam muito de mim mas que para esse momento, não era o que eles queriam mas que com certeza dariam boas referencias e me manteriam na casa até que achasse uma família. E assim se seguiu.

A PRIMEIRA SEMANA EM REMATCH

Os primeiros dias foram bem difíceis de aceitar a situação mas eu consegui seguir sem me deixar abater e transparecer no trabalho. Eu já havia me apaixonado pelos pentelhinhos e a visão de não ter mais eles por perto me machucava então decidi fazer o melhor daqueles dias para ter boas lembranças e estórias para contar.

O que eu realmente não contava é que aquela primeira semana em rematch seria  A MELHOR SEMANA do meu primeiro ano de au pair. Eu simplesmente caí nas graças do menino a ponto de ele chorar quando o meu trabalho acabava e a mãe dele aparecia. Conseguia brincar, sair, jogar bola e fazer inúmeras atividades por que ele simplesmente decidiu que iria gostar de mim e aceitar minhas brincadeiras.

Isso sem falar no meu relacionamento com os hosts. Eu não sei explicar o que aconteceu mas aquela semana foi mágica. Nós conversávamos bastante, houve uma interação muito grande entre a família toda, eu inclusive e eu já me pegava chorosa de pensar em deixar eles.

ATÉ QUE UM DIA….

Ao fim da primeira semana, a host mom me chamou para conversar e havia falado inclusive com a LCC sobre reverter a decisão do rematch. Falou que aquela semana tinha sido fantástica e ela tinha adquirido uma confiança muito grande em mim e no meu trabalho e não poderia deixar isso passar e perguntou se eu queria continuar com eles.

E, logicamente, eu disse sim. Eu estava me sentindo muito bem e confiante em permanecer ali e era o que eu mais queria. Sonhava com esse momento naquela semana mas imaginava que nunca ia acontecer.

NUNCA IMAGINE QUE NÃO PODE ACONTECER

Eu sei que cada experiência é unica e intransferível, o que acontece comigo não vai acontecer com você e vice versa. Mas, uma coisa é fato em todos os casos: nunca imagine que não pode acontecer, esteja preparado para tudo.

Fotos: Freepik

Natal em Cork – não perca as festividades natalinas na cidade

Natal em Cork é muito celebrado pelos locais, com direito a comemoração de acendimento das decorações de natal com uma grande festa na cidade!

Quando estávamos em Cork em nosso primeiro ano nós participamos e foi muito bacana poder vivenciar esse momento tão único e esperado na cidade!

E, como todos os anos, 2017 promete mais celebrações natalinas então já anota na agenda aí para não perder nenhuma delas.

CORK CHRISTMAS LIGHTS

Natal em Cork
Foto por: Darragh Kane

A chegada do Natal em Cork é celebrada com o acendimento das decorações e luzes natalinas espalhadas pelo centro da cidade e, devo falar que é uma festa grande para os locais, com muita música, gente na rua e muita mudança no trânsito da cidade. O ponto central da celebração é na principal rua de Cork, a St. Patrick´s Street e esse ano é esperado cerca de 10000 pessoas! Um evento e tanto não?

Se você quiser participar, anote na agenda: as luzes serão ligadas no domingo, 19 de Novembro (já estarei na cidade, yay!), a partir das 6pm. Lembre-se de chegar cedo e garantir seu cantinho.

GLOW – A CORK CHRISTMAS CELEBRATION

Natal em Cork
Foto por: Cork Christmas Celebration

Outra parada obrigatória nessa época de Natal é no Bishop Lucey Park, com muita luz, comida e diversão natalina para todas as idades! É só chegar. As barraquinhas serão abertas das 12pm as 8:30pm e o parque das 4:30pm as 8:30pm. Anotem as datas:

  • 1 à 3 de Dezembro
  • 8 à 10 de Dezembro
  • 15 à 17 de Dezembro
  • 20 à 22 de Dezembro

Junto a essa atração, outra chama bastante atenção e pode ser vista de longe: Giant Ferris Wheel, instalada na Grand Parade e entra em funcionamento a partir do dia 1º de Dezembro até 7 de Janeiro, das 12pm as 9pm todos os dias.

Natal em Cork
Foto por: Kieran McCarthy

Queremos ver seus registros natalinos em Cork! Poste no Facebook ou Instagram com a #NatalEmCork e vamos compartilhar em nossas redes sociais!

 

5 dicas práticas para melhorar o inglês sem sair de casa

A preparação para o intercâmbio é sempre muito corrida, preocupante e intensa, e uma das maiores dores de cabeça é justamente o idioma. Todas sabemos que ao menos o básico do idioma se faz necessário para dar inicio à jornada fora do país, então a insegurança pré-intercâmbio sempre bate à porta. E é por isso que hoje eu trouxe uma listinha, daquelas que todo mundo gosta, com dicas para melhorar o inglês sem sair de casa e se preparar melhor para seu intercâmbio.

Aplicativos de idioma

Uma das formas mais procuradas atualmente é o aprendizado através de aplicativos próprios para esse fim. Hoje em dia temos diversas opções para aprender uma nova língua a um clique de distância. Um dos aplicativos que eu já usei e recomendo é justamente o famoso Duolingo. Com ele você aprender de forma dinâmica e prática, treinando ouvido, pronuncia, vocabulário e gramática. Outra ótima opção é o Babbel, que foca bastante no no seu vocabulário. Ambos são boas opções e se complementam e podem ser seus aliados na busca pela fluência

Filmes e séries com legenda em inglês

Acompanhar filmes e séries tem sido um ponto muito alto dessa geração e, para mim, não ter forma melhor dar aquele up no inglês. Transformar sua sessão de cinema ou maratona de séries em aprendizado é muito fácil: esqueça as dublagens e comece a assistir tudo com áudio original e legendas em inglês. Com isso você trabalha muito as suas habilidades auditivas, ou seja, treina seu ouvido para ouvir o idioma e usa e legenda para associar as palavras à pronuncia, enriquecendo seu vocabulário e seu tempo de raciocínio. Você pode não entender tudo logo de cara, mas com certeza estará treinando você mesmo para o inglês do dia a dia, com expressões e gírias usadas no cotidiano.

Ouvir músicas em inglês

Assim como os filmes, as músicas podem te ajudar a aumentar seu vocabulário e trabalhar mais ainda no seu listening. Para ajudar nessa tarefa, o site LyricsTraining foi elaborado justamente para esse fim. O site funciona como se fosse um jogo: você ouve a música e tem que preencher as lacunas com palavras ou trechos da letra que estiver ouvindo. Você escolhe o nível de dificuldade (Beginner, Intermediate, Advanced, Expert), onde cada um tem um objetivo a ser cumprido. Basta escolher seu gênero musical favorito dentro os diversos liberados no site e começar a curtir seu som. Detalhe: tudo de graça!

melhorar o inglês sem sair de casa

Vídeos no Youtube

Existem diversos canais no Youtube que auxiliam no aprendizado da língua inglesa, com dicas, curiosidades e vídeo aulas que descomplicam a vida de quem está aprendendo. Esses vídeos, normalmente, são muito objetivos e se utilizam do inglês do cotidiano para compartilhar conteúdo que é realmente útil. Um canal que eu recomendo é o Inglês Winner. Essa dica é super abrangente e se vocês pesquisarem por vídeo aulas no Youtube vão encontrar diversas opções e basta seguir o que mais agradar.

Praticar online

Existem muitos grupos nas redes sociais com pessoas que estão dispostas a se ajudar, além de inúmeros sites em que você pode praticar o idioma diretamente com nativos, ou seja, você pode conversar com uma galera do outro lado do mundo e melhorar o inglês sem sair de casa! Um site muito bom é o Speaking24 – lá você encontra gente do mundo inteiro e consegue se conectar com pessoas que já falam ou estão aprendendo inglês.

melhorar o inglês sem sair de casa

Agora, se você prefere os aplicativos, o Tandem faz a mesma coisa, mas com a vantagem de você fazer tudo pelo celular. Muito mais prático e você pode praticar em qualquer lugar.

Qual será o próximo destino?

Como já falado no post anterior. vocês sabem que estamos de malas prontas e prontos para embarcar em mais uma de nossas jornadas. Bom, o que vocês ainda não sabem é o nosso destino mas esse, acredito eu, não será uma nenhuma surpresa.

Voltaremos à Cork, a cidade que nos acolheu no nosso ano de Irlanda e que nos conquistou com toda sua simplicidade. Já falei aqui no blog, lá no comecinho, o porque escolhemos a cidade como destino e, para ser sincera, os motivos realmente não mudaram. Aliás, aumentaram, até porque agora já conhecemos o que nos aguarda e conhecemos o caminho das pedras.

Dessa vez nossa viagem será um tanto diferente. Não vamos de navio para começar rs, apesar de ter sido nosso primeiro pensamento. Outra mudança será a minha entrada na Irlanda, que dessa vez não será como turista e sim como estudante. Vou embarcar nessa aventura estudantil graças nossa parceira Mundo 4U e viver e compartilhar a experiência de ser um estudante na cidade de Cork. Irei fazer todo o processo de visto de estudante, frequentar as aulas, procurar emprego e viver toda a rotina que vocês já sabem qual é mas ficam curiosos de saber em detalhes.

A escola escolhida é a ACET – Active Centre of English Training, uma das melhores escolas de Cork, que eu já conheci pessoalmente e fiquei encantada. Apesar de eu já falar inglês, acredito que a gente sempre tem que buscar evoluir e sei que posso aprender ainda mais. Se você tem duvidas sobre a escola ou quer conhecer mais não deixe de nos acompanhar!

Eu sei que um dos diferenciais desse blog e de todo o seu conteúdo é justamente a vida sem ser de estudante, e posso garantir que ainda teremos muitos posts relacionados a esse outro lado. Ao final do meu curso, dando tudo certo, aplicaremos novamente para o Stamp 4 e vamos compartilhar mais uma vez todo o processo e todos os detalhes atualizados, afinal, a ultima tentativa foi em 2015 e como todos sabem, a imigração na Irlanda muda as regras como nós trocamos de roupa. Veremos o que nos aguarda!

Embarcaremos dia 11/11 e estamos super ansiosos. Eu estava louca para compartilhar essa novidade com vocês, que tanto torceram por nós quando voltamos para o Brasil. Vamos fazer conexão na Holanda (se alguém tiver dicas do que fazer em 9 horas de conexão pela cidade estamos aceitando viu?).

Quero agradecer a todos que torceram por esse momento de alguma forma e principalmente à Jocélis da Mundo 4U pela parceria e ajuda em todo esse processo – se você quiser fazer um intercâmbio, essa é a agência!

Ah, e quero convidar a todos vocês que ainda não nos seguem nas redes sociais (Instagram e Facebook) para nos acompanhar nessa mais nova jornada.

E-DublinXP – O evento do ano que você não pode perder!

*Foto: FreePik

Intercâmbio tem sido a palavra chave de uma geração vidrada em descobrir o novo, vivenciar experiências e buscar um lugar para chamar de casa em algum canto desse mundo. E a Irlanda tem sido um dos destinos mais buscados para realizar esse sonho.

Se você está se preparando para embarcar ou ainda está na fase de pesquisas sobre intercâmbio, certamente conhece o portal E-Dublin e, digo mais, deve ter, inclusive, alguns posts favoritados aí no seu browser. E como conhecimento nunca é demais, as experiências também não, o Edu e a Mah, junto com um time de palestrantes e patrocinadores, estão promovendo um evento incrível e imperdível!

O E-DublinXP é justamente o evento do ano para quem está interessado em conhecer mais sobre a terra dos Leprechauns. Com palestras, atividades interativas e apresentações de música irlandesa, o evento vai proporcionar uma real experiência irlandesa, tirar muitas dúvidas relacionadas ao intercâmbio, cultura e estilo de vida na Ilha.

Onde? Teatro FECAP – São Paulo – pertinho do metrô Liberdade, não tem desculpa!

Quando? 23 de setembro de 2017

Agora, é bom correr porque os ingressos são limitados, hein? Você pode escolher entre o turno da manhã e da tarde e garantir a sua entrada. E lembre de chegar cedo para não perder nada e aproveitar todo o conteúdo e experiências!

 

O que você sabe sobre o programa de Au Pair?

Além de ser o sonho de muitas pessoas, você sabe realmente o que é o programa de Au Pair? E digo saber além da listinha de requisitos e textos promovidos por agências, blogs e youtubers por aí. Qual é a real essência do programa? Será que o inglês é realmente necessário? E eu posso mesmo ser um membro da família?

Esse post me foi inspirado a partir de alguns vídeos que ando vendo, além de muitos posts nos grupos relacionados, sobre Au pairs que já estão nos EUA e entram em rematch mais cedo do que se imagina ou mesmo acabam terminando a sua jornada antes mesmo se de adaptar ao país. O que mais me chocou, na verdade, foi me dar conta de que nenhuma dessas pessoas tem noção do que é ser Au Pair de verdade, ou da responsabilidade ou mesmo do intuito desse programa e o resultado, em sua maioria, é decepção. Quer sentimento pior para descrever um intercâmbio do que uma decepção? Pois é. E isso me preocupa e me preocupa muito pois o número de pessoas que me procuram para tirar dúvidas sobre esse programa só aumentam!

AU PAIR É UM TRABALHO!

Uma coisa que deve ser exclamada logo de cara é que o programa de Au Pair é um programa de trabalho + estudo (muito mais trabalho do que estudo efetivamente), ou seja, você vai ralar! Você está indo para trabalhar até 45 horas semanais, com crianças e tem que saber que isso está longe de ser fácil. Você não vai entrar naquele avião achando que está embarcando para as férias mais maravilhosas da sua vida porque não é assim que o barco funciona não! Au Pair trabalha, e trabalha muito. 

Existem casos e casos – eu tive extremos durante a minha experiência – onde uma Au Pair pode trabalhar mais do que a outra, pode ter mais regalias que a outra, pode ter mais familiaridade com a host family e isso vai variar muito pois as pessoas são diferentes, com rotinas diferentes, com vidas diferentes. É impossível basear a sua experiência no que outra pessoa viveu. Pessoas diferentes, experiencias diferentes; nesse caso a matemática é simples!

INGLÊS BÁSICO

O programa de Au Pair é um trabalho, como já foi bem citado nesse post, ou seja, um trabalho nos Estados Unidos onde a língua oficial é o inglês, certo? Se você está se candidatando a uma vaga de emprego, obviamente você tem que saber se comunicar na língua do país, independente de qual seja a vaga. Você contrataria alguém que não fale português para cuidar do seu filho?

Ser Au Pair não é meramente ir aprender o inglês; é você aperfeiçoar o seu inglês, ganhar fluência em uma língua que você AINDA não domina, mas conhece. O inglês não é um capricho, não é modinha, não é um diferencial: É UMA NECESSIDADE! Os riscos para quem não consegue se comunicar em inglês são inúmeros em um programa de intercâmbio como esse e é necessário bom senso do aplicante, assim como da agência e da família que receberá o intercambista.

O que vale mais pena: ser mais paciente e estudar, se preparar melhor ou chegar nos EUA e ter de voltar por conta do seu inglês “básico”? Frustração não é um sentimento bom, isso eu garanto a vocês!

AU PAIR SER PARTE DA FAMÍLIA

Existe uma linha muito tênue entre ser parte da familia e não ser. As experiências boas e ruins dependem unica exclusivamente de quem as está vivendo, ou seja, au pair e host family. Existem casos e casos e tem de existir esforços de ambos os lados.

A Au Pair precisa ter uma cabeça madura e boa para conseguir separar o profissional do pessoal Ninguém é hipócrita para dizer que morar e trabalhar na mesma casa é fácil. Não, realmente não é. Ser parte da família dos seus chefes também é um tanto estranho de conceber, não é verdade? Mas, amigos e amigas, é possível! Com boa comunicação entre as partes, com sabedoria e respeito a limites e espaços é perfeitamente possível fazer parte da família que está te recebendo e, ainda assim, ser uma boa funcionária. O respeito deve ser mútuo, assim como os esforços para manter o ambiente saudável. Todo mundo ganha!!!!!

SALÁRIO DE AU PAIR X SALÁRIO DE NANNY

Essa é outra coisa que vejo muita reclamação e, para ser sincera, acho um absurdo. Não tem como comparar! Ao ser Au Pair você está participando de programa de intercâmbio que, vejam só vocês, a familia também paga. E não é pouco! Além de te pagar um salário mensal, oferecer moradia, comida e, em determinados casos, até bancam a sua conta de celular e gasolina em horário off. Obviamente não são todas as familias, mas sim, elas existem. Ou seja, você não se preocupa com as contas, apenas recebe seu salário limpo e gasta como bem entender.

Uma nanny, normalmente qualificada e experiente, paga aluguel, paga contas e paga sua própria comida. Não mora com a família, tem que arcar com custos de transporte e não recebe uma bolsa de estudos para fazer um curso. Supondo que mantenha os deveres em dia, paga seus impostos e taxas que são descontados do salário e você, Au Pair, nem tem que se preocupar com isso.

SERÁ QUE ESTOU PREPARADO(A) PARA SER AU PAIR?

O intuito desse post não é levantar a discussão sobre o intercâmbio valer a pena ou não, mas sim, sobre você estar preparado(a) ou não.

Não estou aqui querendo dizer que tudo no intercâmbio é mil maravilhas porque não é. Você pode ter a sorte de viver uma experiência fantástica ou pode ter o azar de se decepcionar. Seja qual for o resultado do seu intercâmbio, o que me importa é ter a certeza de que você saiba o que é o programa antes de criar expectativas.

Para se ter um saldo positivo do programa de Au Pair, é necessário que você saiba exatamente qual o propósito desse intercâmbio, o que você pode e deve esperar e tomar todas as experiências que você ver e ouvir apenas como exemplo e não como regra. Você vai fazer a sua jornada valer a pena! Só você!