Category

Europa

Category

Conexão longa em Amsterdam – dá tempo de curtir a cidade?

Eu adoro viajar de KLM! Foi a primeira cia aérea que experimentei para Europa e desde então, sempre faço questão de dar prioridade, até mesmo quando os preços são um pouquinho mais altos. Devo confessar que isso se deve ao meu medo de voar e me sinto segura voando com uma cia aérea que já conheço; me transfere uma confiança maior.

Pois bem, a KLM é uma empresa holandesa e, portanto, tem o seu hub instalado em Amsterdam, na Holanda. E qual é vantagem disso? Você pode pegar um vôo com conexão longa em Amsterdam, aproveitar um tempinho na cidade e então, seguir viagem para seu destino final.

O aeroporto de Schipol recebe voos de diversos países e também é ponto de partida para diversos mais, então é possível dar uma combinada em seus dias e horários de viagem e programar uma conexão longa em Amsterdam, aproveitando para conhecer um pouquinho da cidade.

A nossa conexão foi de 9 horas, o que dá pra aproveitar um bom bocado. Acabamos perdendo um pouco de tempo na ida pois eu quis falar com a família ainda no aeroporto – dica: wifi do aeroporto é FANTÁSTICA; funciona perfeitamente bem e é de graça! Consegui fazer uma perfeita chamada de vídeo sem interrupção alguma.

SAÍDA DO AVIÃO E IMIGRAÇÃO

Se você quer aproveitar uma conexão longa em Amsterdam, deve se atentar logo na saída do avião. Você deve seguir para o setor de bagagens/saída/imigração. Não vá para o setor de transfers!

Já no setor de imigração, existem duas filas: para cidadãos europeus e os não-europeus. A fila de não europeu estava enorme, como era de se esperar, então segui para a fila de europeu com o Diego – que estava com o passaporte português dele. Perguntei para o assistente que estava na fila e a resposta foi positiva, então seguimos em frente. Acabamos nos dando mal nessa escolha porque o atendimento demorou horrores! Foi bem uns 40 minutos de espera, mesmo a fila estando bem menor do que a do não europeu.

Chegando a nossa vez, entreguei os dois passaportes juntos e o agente, muito simpático, perguntou o que iríamos fazer. Respondi que gostaria muito de aproveitar a nossa longa conexão em Amsterdam e entreguei a passagem para Cork. Ele riu, deu instruções de horário em que deveríamos voltar e carimbou meu passaporte.

Acredito que mesmo que eu não estivesse com o Diego, não teria problemas mas é sempre bom frisar que a imigração européia costuma pedir seguro de viagem e comprovante de dinheiro, então é bom manter esses documentos fáceis para o caso de serem pedidos.

GUARDANDO A BAGAGEM

O aeroporto de Schipol é enorme e você deve ter um tempinho extra para entender os caminhos. A nossa primeira parada foi no locker do aeroporto para deixar as mochilas. O locker fica nos setores de “Arrivals” 1 e 2 – mas você pode seguir os indicadores de Baggage Lockers para chegar. Os lockers funcionam 24h por dia e os valores variam de acordo com o tamanho, lembrando que o pagamento deve ser feito com cartão de crédito ou débito:

Small 43x34x80cm: € 6
Medium 58x34x80cm: € 7
Medium plus 58x50x80cm: € 8
Large 90x51x80cm: € 9.50
Extra large 120x50x80cm: € 11.50

PASSEANDO POR AMSTERDAM

A estação de trem Schipol Airport é basicamente dentro do aeroporto. Você consegue comprar a passagem no próprio saguão do aeroporto. Escolhemos um bilhete ida e volta para evitar preocupações na volta. O valor de cada um foi 8.40, mais 1 euro no final por conta do pagamento com cartão.

O trem não demorou muito para chegar e logo embarcamos. Ah, um detalhe que vale mencionar: os bancos vermelhos são para primeira classe. Note que nosso bilhete marca Classe 2, isso significa sentar nos bancos azuis do vagão. Não demorou muito, cerca de 20 minutos, e já estávamos na cidade.

conexão longa em Amsterdam

A estação que você deve descer é a Amsterdam Centraal, que fica exatamente no centro, no coração da cidade e que te dará acesso aos principais pontos da cidade. Devo falar que não fizemos um roteiro especifico, muito menos saímos correndo para conhecer a Casa Anne Frank ou o letreiro de Amsterdam.

conexão longa em Amsterdam

Eu odeio fazer as coisas correndo e, devido ao pouco tempo – e a chuva – decidimos apenas passear sem rumo pelas ruelas de Amsterdam. Passeamos pelos canais, aproveitamos muito para tentar relaxar depois da longa viagem e focar no que ainda estava por vir. Conhecemos pouca coisa da cidade, é fato, mas o que mais valeu a pena foi justamente poder caminhar sem rumo, sem pressa e sem compromisso por essa cidade linda. A nossa conexão longa em Amsterdam serviu justamente para nos fazer querer voltar à cidade o mais rápido possível!

conexão longa em Amsterdam

Agora, se você é daqueles que não gosta de perder uma oportunidade e um minuto do tempo, dependendo do tempo da sua conexão, é possível selecionar alguns lugares da cidade que você gostaria de conhecer e fazer a correria. Até pensamos em embarcar naqueles ônibus hop on – hop off mas acabamos deixando para a próxima, mas ainda acho que é uma ótima opção para esse curto período de visita.

Outra dica importante para você que quer tirar aquele foto no letreiro de Amsterdam: do lado de fora do aeroporto existe uma placa idêntica e bem menos visitada, o que vai facilitar a sua foto perfeita 😉

Lembre-se de manter um bom tempo livre para a volta. Contando com o trajeto até a estação, chegada ao aeroporto, coleta da bagagem e encontrar o portão de embarque, passar pelo raio x… Todo esse processo leva um bom tempo e é sensato evitar chegar muito em cima do seu horário de embarque. O agente da imigração nos aconselhou a chegar com pelo menos 2 horas de antecedência. Lembre-se que o aeroporto é gigante e dependendo do seu portão de embarque, a caminhada pode ser longa!

Conexão longa em Amsterdam

Conexão longa em Amsterdam

Conexão longa em Amsterdam

5 praias para curtir o verão em Cork

O verão em Cork já deu as caras e as temperaturas estão surpreendendo, não é mesmo? Muitos braços e pernas de fora e até protetor solar se faz necessário e uma coisa é fato: qual o melhor lugar para aproveitar o tão aguardado sol de verão em Cork senão as belíssimas praias da região?

separa a roupa de praia, o protetor solar e o óculos de sol e venha conferir a seleção de belas praias que preparamos especialmente para você aproveitar seu verão em Cork!

Myrtleville e Fountainstown

Verão em Cork

Essas duas belezas você pode combinar em uma só visita. São super acessíveis de ônibus, basta pegar a linha 220A. Ou, se quiser ir de carro, são cerca de 30 min de distância desde o centro de Cork até lá. Em Fountainstown existe um estacionamento grátis bem em frente a praia. Recomendo parar por ali e seguir a pé, se interessar, até Myrtleville. É uma bela subida, mas compensa. Eu já falei sobre essas duas praias nesse post aqui.

Garrettstown Beach

Verão em Cork
Foto retirada do site Travel Ireland

A praia fica bem próxima a Kinsale e é muito conhecida entre os surfistas da região. E não se preocupe se você não sabe surfar: existe uma escola de surf que oferece aulas e aluguel de equipamentos para quem tem interesse no esporte. O carro é o meio mais recomendado para chegar ao local, mas você pode pegar a linha 226 de ônibus para chegar na praia, porém esta funciona apenas no verão e em horários específicos. Uma vez em Garrettstown, não se esqueça de perguntar aos locais sobre a Cliff walk que existe por ali, a vista vale muito a pena.

Garryvoe Beach

Verão em Cork
Foto retirada do site The Beach Guide

Praia muito movimentada com o tempo bom, mas com muito espaço e atrativos para todos os gostos e idades. Muitos lugares para estacionar, além de ser acessível com carrinhos de bebê e cadeirantes. Além da praia, a diversão fica completa com um playground para os pequenos e alguns food trucks. Ballycotton – que eu já falei aqui também – fica bem pertinho dessa praia e com o tempo aberto, é possível ver a ilha de Ballycotton e seu icônico farol. Recomendo ir de carro, porém você consegue chegar ao local utilizando a linha de ônibus 240, a partir de Cork.

Youghal

Verão em Cork
Foto retirada do site Youghal.ie

Por ser uma cidade costeira, Youghal oferece não apenas uma mas 4 praias muitos conhecidas e visitadas pelos moradores de Cork. Começando pela praia localizada no centro da cidade, bem próxima às atrações turísticas do local, está a The Mall Beach. Pequena e muito movimentada, sendo necessário chegar cedo para conseguir um pedaço de areia durante o verão.
Já a Front Strand e a Claycastle são praia grandes, localizadas uma em seguida da outra e ainda próximas do centro da cidade, acessíveis a pé. Por serem maiores, são mais espaçosas ou seja, sem brigas por um pedaço de chão.
Continuando a caminhada você chega a Redbarn Beach, a menos movimentada das 4. Se quer sossego, Redbarn is just the place for you. E, para finalizar seu passeio com chave de ouro, você pode aproveitar uma refeição diretamente do The Quality Hotel, localizado bem próximo dali. Para chegar à cidade, basta pegar a linha 40 ou 260 direto de Cork.

Inchydoney

Verão em Cork
Foto retirada do site Irish Examiner

A pequena Ilha de Inchydoney, na região de Clonakilty, abriga bela praia de Inchydoney, eleita a preferida dos turistas em 2016. Lugar para curtir o mar, a areia e ainda incluir um piquenique, já que existem algumas mesas especificas para este fim em frente à praia.

Quer poder curtir um verão em Cork também? Aproveite agora a promoção exclusiva da Mundo4U para nossos leitores e solicite um orçamento.

O que fazer em Peniche? Dica de roteiro para 2 dias na cidade

Quando decidimos fazer a nossa road trip por Portugal, antes de voltarmos ao Brasil, já tínhamos as principais cidades de destino decidias: Porto, Coimbra e Alvarelhos, esta última sendo a cidade natal do meu sogro. Como ainda tinha um espaço sobrando no roteiro, estava procurando uma praia pelo caminho e acabei, através do Google Maps, descobrindo a cidade de Peniche, cidadezinha a pouco mais de 1 hora de carro de distância de Lisboa. E foi aí que o encanto começou…

Durante o planejamento, nós optamos por ir direto a Porto e voltar parando nos lugares – esses detalhes eu colocarei em um outro post – e o destino final antes de voltarmos a Lisboa seria a pequena Peniche onde, a princípio, ficaríamos apenas 1 noite – não cometam esse erro, fiquem pelo menos 2 noites e aproveitem dois dias inteiros por lá.

Mas o que fazer em Peniche? A cidade é bem pequena e litorânea, tem algumas belas praias para visitar e o ideal seria tirar esse primeiro dia para conhecer a cidade. Na marina, que foi onde ficamos, tem vários restaurantes e belíssimos passeios a pé para fazer. Como chegamos no meio da tarde, nosso tempo ao redor do centrinho foi curto, mas deu para conhecer o Forte de Peniche e a pequena e caminhar pelas ruelas da cidade. Encantadora!

O que fazer em Peniche

O que fazer em Peniche

O que fazer em Peniche

Mas, a principal atração da região não fica na cidade! Aliás, fica a bons 20 minutos de trajeto de lancha saindo da marina… a ilha de Berlengas. Gente, que lugar FENOMENAL!

Se você quer – você deve, mas não vou sair impondo assim né? – fazer esse passeio, recomendo fortemente que chegue cedo na região da marina, que é onde ficam as empresas que fazer o trajeto. Normalmente são dois turnos – com algumas variações dependendo da companhia – indo de manhã e voltando e tarde, e indo a no meio do dia e voltando no final do dia. Seja qual for a sua escolha, chegue cedo para reservar seu lugar senão pode perder viagem. O valor ida e volta fica em torno de 20 euros por pessoa e o trajeto é tranquilo. DICA: Se a lancha tiver um “andar de cima” e você não gosta de se molhar, não faça a diva e sente por lá ok? HAHAHAHAHA Experiência própria.

Outra recomendação é que você se prepare e faça um lanchinho para comer por lá. Existe um restaurante por lá mas, com é de se esperar, os preços não são lá muito amigáveis e o menu é bem restrito. Mas, escolha sua. Além do lanchinho, vale a pena levar ou ir com sapatos confortáveis e que serão úteis para fazer todo o trajeto da ilha.

A ilha de Berlengas é a ilha principal do arquipélago e lá vivem algumas pessoas que fazem a preservação da ilha. Eles conhecem o território e a história do lugar como ninguém então se estiver curioso, bata um papo com os locais.

O passeio em si vai começar seguindo a trilha, totalmente demarcada e asfaltada, ilha acima. Sim, ilha acima. O morrinho é grande – e a vista espetacular – então esteja avisado. Difícil mensurar em quanto tempo você percorre todo o percurso pois depende muito do seu caminhar, das paradas que você possa fazer – existem alguns pontos de visita como o Farol e o Forte no meio do caminho, além de mirantes que você pode parar e apreciar a vista. O conselho aqui é: caminhe sem pressa, aproveite cada minuto nesse paraíso e CUIDADO COM AS GAIVOTAS! Elas são MUITAS e algumas chocam os ovos no meio do seu caminho e sim, elas vão tentar te atacar enquanto você passa. Então, muito cuidado. Diego quase levou uma bicada na cabeça, mas sobreviveu e passa bem.

O que fazer em Pencihe

O que fazer em Peniche

O que fazer em Peniche

O que fazer em Peniche

Na volta, termine o seu passeio curtindo um sol na prainha de água congelante que fica na base da ilha. A cor do mar é de tirar o fôlego e vale a pena passar o resto do tempo por ali antes de voltar à civilização.

O que fazer em Peniche

O que fazer em Peniche

ONDE SE HOSPEDAR?

E se você está se perguntando onde você ficar durante a estadia, eu tenho a dica perfeita: B&B Kate Kero. Fechamos a reserva através do Booking com um preço excelente. Vou ser sincera e confessar que, pelo preço, esperava um hotel simples e bem normal mas ao passar pela recepção e chegar no quarto eu só pensava “quero morar aqui”!



Booking.com

O quarto é super confortável e bonito, o banheiro moderno e limpo e a sacada com uma vista pra marina e um pôr do sol fantástico! Como havíamos reservado apenas uma noite, tivemos a ideia de esticar a estadia por mais um dia, mas infelizmente não tinha mais quartos. O café da manhã também surpreendeu. Apesar de simples, era bem gostoso e tinha boas opções, como pães, frutas e bebidas quentes e frias. E a cereja do bolo fica por conta da localização: de frente pra Marina, perto de vários restaurantes e sorveterias e do Forte de Peniche. As praias principais ficam um pouco mais longe, mas estando de carro, a locomoção não vai ser problema. Ah, e por falar em carro, tem um espaço quase em frente ao hotel que é liberado para estacionar, viu?

O que fazer em Pencihe

O que fazer em Peniche

O que fazer em Pencihe

O que fazer em Peniche

O que fazer em Peniche

7 destinos em Cork que você precisa conhecer

Eu amo viajar e conhecer lugares novos – e tenho certeza de que se você tá vivendo ou preparando seu intercâmbio você é dos meus – e morando em Cork não seria diferente. Aqui no Brasil, eu sempre gostei de fazer viagens, inclusive as curtas – entenda bate-volta – e sempre me deliciei em dias ótimos fora da correia de São Paulo, conhecendo cidadezinhas próximas, gastando pouco e me divertindo horrores! Sempre levei comigo essa ideia, imaginando que na Irlanda eu poderia fazer isso sem pensar muito. E não é que realmente é mais do que possível?

A partir de Cork é possivel fazer inúmeros bate-volta, inclusive para outros condados, como Dublin, Galway, Limerick, etc. Sempre recomendo alugar um carro para o passeio ser mais confortável e independente, mas existe ônibus e até agencias de viagens que fazem passeios de um dia, que você pode aproveitar se não quiser ter de se preocupar em pesquisar e dirigir. Eu, particularmente fico com a opção de dirigir – bom, não eu no caso, Diego dirige e eu planejo, porque sabe como é né? Adoro ter meu motorista particular!

Como todo mundo sabe, Cork é um ovinho e você pode conhecer a cidade em 2 dias se quiser fazer o modo slow. Então, se você mora por lá, é bem provável que vai se pegar alguns finais de semana coçando a cabeça e com faniquito de fazer alguma coisa. E é aí, meu caro leitor (a) que eu entro na história e salvo o seu dia. Hoje eu separei 7 destinos em Cork, que podem facilmente ser visitados em 1 dia. Salvei seus planos para o final de semana, não? – dê um like de agradecimento, tá?

1. Fota Wildlife Park

Destinos em Cork - Fota

Particularmente um querido meu, o zoológico é uma ótima opção para curtir um dia de verão irlandês, ou qualquer dia, afinal se não tem como fugir da chuva, junte-se a ela. Eu já falei do Fota em um post aqui no blog mas nunca é demais não é mesmo? O passeio pode ser combinado com um pulinho em Cobh, mas como eu gosto de aproveitar cada atração o máximo possível, eu deixaria Cobh para um outro dia.
Voltando ao zoológico, o parque em si não é muito grande, mas você pode aproveitar bastante. Tem uma variedade considerável de animais, muitos deles soltos então você pode ter contato direto com os bichinhos. A paisagem é linda assim como toda a Irlanda, e tenho certeza de que um piquenique depois de visitar todo o zoológico seria fechar o passeio com chave de ouro. Junta aquela galerinha bacana e vão curtir um sábado no zoológico. Novas aventuras, isso é intercâmbio viu gente? A entrada para estudante é 11.50 EUR. Já para adultos a entrada fica 16 EUR e a melhor forma de chegar lá é de trem. O trajeto dura em torno de 15 minutos. Ah, fiquem atentos que a paisagem no caminho é bem bonita. Câmeras a postos!

2. Cobh

Destinos em Cork - Cobh

Cobh também tem post especial aqui no blog e é, sem dúvidas, uma cidadezinha bastante agradável. Seja pelo seu clima interiorano, seja pelas cores, pelo mar, Cobh certamente vai te ganhar em alguns minutos de caminhada. Antes de mais nada, saiba que Cobh se pronuncia “Couv”, ou algo próximo disso, ok?
Também pertinho de Cork, algumas estações para frente de Fota, você vai chegar em Cobh, a última parada do Titanic antes do naufrágio. Sim, por essa você não esperava né? A pequena cidade do condado de Cork tem história.
Lá você pode conhecer o museu do Titanic, obviamente não tão grande quanto o que existe em Belfast, mas um bom passatempo. Além disso, você deve caminhar pelas ruelas e ladeiras, ver as famosas casinhas coloridas e a Catedral da cidade.
Depois de passear por Cobh, que tal conhecer a pequena Spike Island, ali pertinho? Em apenas 7 minutos, de ferry, você chega na ilha que abriga uma antiga prisão e vistas deslumbrantes do porto de Cobh. Vale MUITO a pena!

3. Midleton

Destinos em Cork - Midleton

A cidade, famosa por abrigar a Destilaria Jameson, recebe muitos visitantes dispostos a conhecer como é feito o whisky tão apreciado. O passeio por Midleton em si se baseia na destilaria. Lá o visitante pode conhecer todo o processo de fabricação, tirar dúvidas, além de poder degustar a bebida e ainda poder comparar o Jameson com outros de grande nome – a ideia é degustar todos para provar que Jameson é superior a qualquer outro.
Durante a visita, você verá maquetes, vídeos, objetos, tudo relacionado a fábrica que se mantém conservada há 150 anos, tudo isso com a ajuda e monitoração de um guia que dá detalhes e curiosidades de cada parte visitada.
Ao final, você pode se deliciar com um almoço do restaurante da destilaria, e ainda tomar  mais uma dose de Jameson – porque você pode!
A melhor forma de chegar até lá é de trem, partindo da Kent Station em Cork com destino a cidade de Midleton. A destilaria fica a uns 10 minutos de caminhada da estação.
Depois de tudo, vale a pena passear pelas ruas de Midelton, com calma, apreciar as paisagens residencias típicas e riscar mais uma cidade Irlanda do mapa.

4. Ballycotton

Destinos em Cork - Ballycotton

Que passeio maravilhoso! Ballycotton, pra mim, foi uma surpresa sem tamanho! Esse é um passeio que eu acho que todo mundo em Cork deve fazer.
Para esse destino, eu recomendo fortemente que se alugue um carro. O trajeto até lá dá uns 50 minutos e, pra variar, dá pra curtir algumas paisagens lindas. Ah, outra forte recomendação é: sapatos confortáveis.
Lá na cidade tem lugar para estacionar o carro e então, você está livre para explorar. Você vai ver algumas placas indicando o inicio da Cliff Walk e basta seguir, tirar muitas fotos pelo caminho e aproveitar cada minutinho nessa terra maravilhosa.
A trilha tem extensão aproximada de 8km e é super tranquila. Tem algumas praias que você consegue acessar sem maiores problemas, vários mini cliffs pelo caminho, muita natureza envolvida. Eu confesso que não consegui chegar até o final, o sedentarismo me venceu mas até onde fui, foi simplesmente sensacional!!!!!!! Além das memoráveis paisagens, devo mencionar que é tudo FREEEEEEEEEEEE!

5. Mizen Head

Destinos em Cork - Mizen Head

Um ponto turístico irlandês não tão explorado mas com grande impacto aos olhos dos visitantes. Essa é a península de Mizen Head. Esse é o bate volta mais longe da lista mas, sem dúvida o mais bonito! A viagem até lá dura mais ou menos 2 horas e se dá pelas típicas estradas irlandesas: estreitas e com uma variedade gigantesca de paisagens, misturando o verde da vegetação, o branco das ovelhas e o azul, ora do céu, ora do mar à medida que você vai chegando a costa.
Lá é possível conhecer o pequeno museu que conta em detalhes a história do lugar e caminhar por entre as trilhas para visitar e apreciar os penhascos, ponte e farol de todos os ângulos.
A entrada é paga – Adulto 7.50 EUR / Estudante 6 EUR – e vale cada centavinho gasto. Dica: levem um piquenique; lá você encontra um café mas a variedade de comida é quase nula. Eu recomendaria levar um lanche, comprar um chocolate quente no café local e comer na parte externa, apreciando a vista – óbvio que o vento é uma constante na Irlanda, então, deal with it.

6. Myrtleville + Fontainstown

Destinos em Cork - Myrtleville e Fontainstown

Duas prais super conhecidas que ficam nos arredores de Cork e ambas de igual beleza. Uma recheada de formações rochosas para ser explorada – Myrtleville – enquanto a outra oferece um recuo de pedras, ótimo local para fazer um luau, curtir o pôr do sol, namorar… Ahhhhh, são dois lugares de uma simplicidade tão grande mas que enchem os olhos de qualquer visitante.
Ambas ficam a cerca de 40 minutos de distância de Cork. Eu recomendo a viagem de carro, porém existe a linha 220 do ônibus que sai de Cork em direção a Fontainstown. Uma praia está a minutos de distância da outra, então é super possível conciliar as duas visitas.
Começaria por Fontainstown, andaria pelo recuo de pedras, tomaria um chocolate quente olhando para o mar. Quando você aprende o valor dessas pequenas coisas, toda a simplicidade de uma visita supera a mais movimentada cidade européia. É profundo isso, eu sei, mas é como eu realmente me sinto nesses dois lugares.
De lá, vai direto pra praia de Myrtleville e explore a praia como um todo – se tiver coragem, entre na água. Suba nas pedras, aprecie a vista, caminhe por toda a extensão e admire a bela paisagem  que você tem à frente.
Após as duas visitas, ainda na praia de Myrtleville, tem um restaurante, o Bunnyconnellan, que é um dos melhores lugares que comi na região de Cork. A comida é deliciosa e o preço super amigo. O restaurante é muito bonito e com uma vista de tirar o fôlego. Se o tempo tiver bom, você pode comer na área externa, podendo ter a belíssima paisagem como companheira.

7. Kinsale

Destinos em Cork - Kinsale

Kinsale é uma cidadezinha bem pequena, a cerca de 30 min de distância de Cork. É uma região muito conhecida quando se trata de gastronomia, dizem que se come MUITO bem por lá. Cidadezinha portuária, muito colorida, pacata e muito atraente, Kinsale certamente é um destino certo quando pensamos em uma day trip. Lá você pode andar pelas ruas, conhecer o Charles Fort e o James Fort, visitar o Desdemond Castle e ainda o museu do vinho. A cidade é pequena mas oferece muitas atrações para seus visitantes.

 

8 atrações imperdíveis na cidade de Cork

PARA TUDO! Cork pode ser um ovo mas tem bastante coisa para visitar, fazer e curtir. Separamos 8 atrações imperdíveis – entenda por “nossas favoritas” – para você curtir o melhor da cidade e, o principal, gastando pouco.

Se você está com pouco tempo, pouco dinheiro mas quer aproveitar o que Cork tem de melhor, esse post é especialmente para você, meu amigo(a)!

FITZGERALD PARKFitzgerald-Park

Localizado na região central de Cork, a poucos minutos a pé do centro, o parque oferece algumas boas opções de lazer para quem quer curtir um dia ensolarado – #sqn – na cidade. Com parquinhos para crianças, museu e um café, o parque é o local ideal para aproveitar um sábado gostoso entre amigos, fazer um piquenique e admirar a natureza. O local é, também, a escolha para realização de grandes eventos como o Cork Summer Festival que acontece todos os anos na cidade. Ah, se você gosta de tirar fotos, vai adorar andar pelas redondezas do parque e tirar aquelas fotos bacanas para postar no facebook e fazer todo mundo babar! 🙂

ST. ANNE’S CHURCH/SHANDON TOWERShandon TowerSt. Anne’s Church uma atração muito especial na cidade. Além de oferecer uma vista panorâmica muito charmosa da cidade, você também pode se divertir tocando os sinos da Igreja. É um passeio imperdível e mais do que obrigatório. Mas se você não quiser pagar por isso – 5 euricos por adulto / 4 por estudante – você pode comtemplar a bela construção do lado de fora e andar pela região, que é muito bonita. Por ser uma região alta, de alguns pontos dá pra você avistar a cidade de Cork do alto XD

UNIVERSITY COLLEGE CORKUCCA UCC é um ponto turístico delicioso de se visitar! A arquitetura presente no local é de tirar o fôlego e a história que pode ser explorada por ali faz com que seja um destino bem procurado pelos visitantes de Cork. O lugar é imenso, com jardins para você curtir um sol, piquenique ou simplesmente passar o tempo admirando a beleza da universidade. A UCC está localizada bem próxima ao Fitzgerald Park, então dá para combinar um passeio e visitar essas duas belezinhas da cidade.

ST. PATRICK’S HILL
Patricks Hill - Twitter - David Wynne - vidcoQuero ver se você aguenta subir a ladeirona bem no centro de Cork. Se eu te falar que essa (acima) é a vista que você recebe como recompensa te incentiva? O trabalho pode ser árduo, mas gente, vamos combinar que esse visual compensa o trabalho! Pode imaginar o que é ver um pôr do sol ali, sentadinho, curtindo toda essa belezinha? Depois de um dia de turismo na cidade, finalizar o dia por aqui é fechar o passeio com chave de ouro!

ST. FINN BARRE’S CATHEDRAL/ELIZABETH FORT
FinnBarresA Catedral linda da cidade não poderia ficar de fora dessa lista! Localizada no centro de Cork, com acesso super facilitado, você pode visitar o local andando apenas poucos minutos da Grand Parade ou St. Patrick’s. A visita ao interior da Catedral é paga – 5 euros – e eu, particularmente não fui. Adoro visitar igrejas, mas confesso para vocês que a grana era curta e eu optei por não visitá-la. Porém a parte de fora é livre e você pode admirar a construção – que é fantástica – do lado de fora, bem como o cemitério e o labirinto. Não muito distante dali – do lado! – você pode visitar o Forte Elizabeth. A entrada é gratuita e a vista de lá é linda, tanto da cidade quanto da própria Catedral.

CORK CITY GAOL
cork city gaolA antiga prisão de Cork é um espetáculo! Não a toa, muitos eventos como confraternizações, casamentos e festas acontecem por lá. O lugar é lindo, por dentro e por fora. Para visitá-la, você terá que desembolsar 8 euros (adulto) ou 7 euros (estudante). Se você não quer gastar, o exterior já vale a caminhada de 30 minutos até lá. Mas, se você foi até lá, acho que vale a pena ver o interior e conhecer um pouco mais da história do local. #fikdik

THE LOUGH
The LoughO pequeno lago localizado a 20 minutos de caminhada do centro de Cork é um ponto que, se você tiver um tempinho, você tem que visitar! Sentar naqueles banquinhos e observar as pessoas e animais, cada um respeitando seu espaço, apenas aproveitando o que a vida tem de melhor. Imagina, que delicia! Com exceção de um ou dois restaurantes no local, não tem muito o que fazer aqui, a não ser realmente admirar a natureza e curtir. A criançada pode brincar em parquinhos que existem por ali também, eles não ficam de fora! No mais, é um passeio tranquilo, sem gastos que com certeza vai te agradar e fazer você se apaixonar – se não estiver ainda – pela cidade.

BLACKROCK WALK/BLACKROCK CASTLEBlackrock CastleNós temos um carinho muito grande com esse ponto – afinal, foi aqui perto que moramos todo tempo que passamos na cidade.  Eu dedicaria um tempinho considerável para fazer esse passeio, sério! Vale muito a pena! A Blackrock Walk é uma “trilha”, vamos chamar assim, em loop – do centro ao Blackrock Castle, passando por diversos pontos “escondidos” da cidade. A trilha é muito gostosa – seja andando a pé ou de bike. Você vai passar por muito verde, vistas lindas de parques e lagos, ter muito contato com a natureza, passar pela belezinha que é o Lough Mahon – muito amor por esse “quintal de casa” – em Jacobs Island até chegar no Blackrock Castle. Como a trilha é em loop, não tem um lugar certo que comece ou termine. Vai de você decidir por onde é mais fácil. Abaixo eu deixo o mapinha da trilha para você entender onde ela está – você vai passar bem pertinho do Mahon Point Shopping, então, se quiser para fazer uma boquinha ou tiver cansado, é uma opção.

Blackrock_Mahon_Loop2

E aí, curtiram as dicas? Tem algum lugar que não está nessa lista? Compartilha aí, vai! 

É possível fazer um Cruzeiro Brasil-Europa?

Não só é possível como VALE MUITO A PENA!

Eu confesso que jamais tinha imaginado estar a bordo de um Cruzeiro Brasil-Europa – até porque nunca tinha viajado de navio – mas quando decidimos ir para Irlanda, essa ideia surgiu e eu não lembro exatamente como e, então, começamos as buscas…

Se você também tem a ideia e/ou vontade de ir – ou mesmo voltar da Europa – a bordo de um desses cruzeiros, papel e caneta na mão (à moda antiga sim) que eu vou te dar algumas dicas de pesquisas, conveniências, economias para fazer sua viagem ser um sucesso!

Iniciando as pesquisas
Para começar as suas pesquisas, você tem que ter noção das datas da sua viagem. Os navios de travessia não são constantes, eles seguem temporadas de verão para onde vão, ou seja, os navios que partem do Brasil com destino à Europa saem entre Março/Abril e a volta normalmente fica entre Novembro/Dezembro. Você tem que ficar bem atento com relação às datas de saída e chegada, principalmente se você já está com planejamento de intercâmbio feito, com escola comprada e data fixa para iniciar. Sugiro pensar primeiro nas datas no Cruzeiro para depois fechar a data da escola.

Outro ponto a ser pesquisado com muito carinho é sobre os portos de chegada. A minha escolha foi baseada em lugares que faziam voôs direto para Cork, que era meu destino final na Irlanda. Tendo isso em mente, optamos por seguir através do porto de Barcelona que foi o único lugar que encontrei esses voôs. Porém, contudo, todavia, eu deixei para comprar as passagens de BCN-ORK mais pra frente pois eles só vendiam com 3 meses de antecedencia (Aer Lingus). Qual não foi a minha surpresa que as datas liberadas (esse voô é sazonal) seriam a partir do dia 20 de maio (e minha chegada em Barcelona seria no dia 03 de maio. Ou seja, fomos para Dublin mesmo.

Além do porto de chegada, você tem que verificar quais são os portos de saída, também! Eu saí de Santos, mas existem opções saindo do Rio, Salvador e algumas em Recife. Depende muito da companhia escolhida e das temporadas. Verifique com muita atenção pois você pode ter que colocar mais um trecho de viagem e pode não valer a pena em questão de valores. Pesquise muito bem esse detalhe!

Cruzeiro Brasil-Europa

Escolhendo a companhia
Escolheu a época que você quer viajar, porto de saída e chegada? Agora é a hora de decidir a companhia de cruzeiros que você vai escolher. Temos a MSC, Royal Caribbean (pelas minhas pesquisas e informações durante meu cruzeiro, essa cia faria a sua ultima travessia em 2016, mas listo aqui para incluir na pesquisa de vocês, nunca se sabe!), Costa Cruzeiros e Pullmantur. Os preços são variáveis (de acordo com os dias de viagem) mas bem próximos entre as companhias, assim como as opções de cabine. As vezes a cia mais barata não opera no porto que você havia escolhido então pode ser que você tenha que mudar alguns filtros na sua pesquisa mas acredite, vale a pena no final das contas, ok?

Escolhendo a cabine
Olha, esse é um tópico meio tenso para mim. Como nunca havia viajado de navio, não sabia ao certo o que valia mais a pena ou não. Para essa viagem, tentei não pensar muito muito no fator dinheiro e sim no fator conforto – afinal, seriam 14 dias dentro do navio! E hoje, depois de vivenciar toda a travessia eu falo: peguem cabine com varanda! Aí alguém pode falar: “Ah, eu não vou ficar muito tempo no quarto e o navio tem “varandas” em toda lugar” . Realmente, o navio te dá uma visão panôramica de tudo e isso é inegável. Porém, contudo, todavia, ter uma varandinha lá no quarto fez toda diferença pra gente. Muitas vezes ficavámos sim no quarto, sentados na varanda, lendo livros, tomavámos café da manhã por lá, de pijama sem se preocupar com nada.

Assim, no final das contas, tudo vai depender do bolso de vocês, é lógico. Mas vale a pena conferir as possibilidades pois a nossa cabine foi super barata! Mais barata que avião na época que fomos (Abril/2015). Eu dou a dica e vocês, é claro, seguem se quiserem. Eu penso assim, se eu estou fazendo uma viagem como essa, vou fazer no melhor estilo para aproveitar ao máximo – óbvio que o navio é grande e você sempre vai achar algo pra fazer. Mas se o seu objetivo é relaxar e apreciar o seu momento, meu amigo, vai com fé e gaste seus reais a mais se tiver condição. E ah, eu aposto que você não ia gostar de perder a chegada cedo em Tenerife e apreciar a vista da ilha direto da sua varandinha particular? 😉

Cruzeiro Brasil-Europa
As vezes tem neblina, oras!

Comprar pacote de bebidas ou não comprar
Bom, vou falar da minha experiência com a Royal, nesse caso – infelizmente não posso falar das outras porque não conheço (mas quero muito, viu companhias????? XD ). Nós compramos o pacote de bebidas que dava direito a suco, água, café, cha, refrigerante e drinks sem álcool. Fomos prevenidos! Porém, confesso que não era necessário. E explico o porque: no café da manhã, café, chá e sucos (máquina) são a vontade! Assim como durante o almoço e janta no buffet. E ah, tinha máquinas de água e suco em vários pontos do navio e durante o jantar no restaurante “chique” (que está incluso) também é servido água.

Nos arrependemos de pegar o pacote de bebidas (que não foi barato). O refrigerante que era servido era de máquina (sempre horrivel!) e acabamos nem tomando muito. Aproveitamos os drinks que eram bem gostosos! Mas assim, falar que valeu a pena, não valeu não e não recomendo! O pacotes que incluem bebidas alcoolicas são bem mais caros e só compensa se você bebe MUITO! Se for uma ou outra, acho que vale mais a pena comprar avulso no navio.

Passeios
Os tours nos portos de parada não estão inclusos no valor do navio, sendo necessário pagar a parte. Compramos os nossos (Tenerife e Malaga) com antecedência pelo site da Royal – e eu recomendo comprar com antecedencia que os valores são mais em conta.
Vale bastante a pena fazer os paseios, afinal, você tem apenas algumas horas no lugar e quer fazer valer a pena. Não pagamos caro nos tours e curtimos muito! Você pode comprar direto no navio também, mas os valores serão mais altos e você estará a mercê da cotação do dólar (acho que não preciso falar que dentro do navio os gastos são todos em dólar, hein?)

Cruzeiro Brasil-Europa

Prós da viagem
Ai, a lista de prós é gigantesca! O passeio em si já vale. O navio já vale! as paradas, o conforto, as comidas MARAVILHOSAS… nossa, sem comparação! Acredito que você aproveita mais e relaxa a cabeça e o corpo para essa mudança tão grande. Acho que é uma boa preparação e transição. Outra coisa boa é com relação as malas. No navio você pode levar até 90 kg por pessoa, o que para quem está indo fazer intercâmbio é maravilhoso – mas vale lembrar que quem está indo para Irlanda necessariamente vai ter que fazer um voô doméstico ou seja, restrictions apply. #ficadica

Quer saber mais vantagens de viajar de navio? Clique aqui.

Contras da viagem
É uma viagem demorada e de certo modo cansativa. Vai chegar uma hora que você vai entendiar, vai enjoar (dramin na bolsa, sempre!), vai querer ter ido de avião – especialmente durante os 6 dias de navegação direto, sem paradas! Você vai querer ir na piscina e não vai poder, tá cheia. Vai querer ir na hidro, tá cheia. São 6 dias que TODOS OS PASSAGEIROS estão no navio então fica BEM movimentado!  (tô aqui pensando mas não consigo achar mais contras! É muito amor por essa viagem!)

Algumas fotos pra vocês! XD

Cruzeiro Brasil-Europa

Cruzeiro Brasil-Europa

Cruzeiro Brasil-Europa

Cruzeiro Brasil-Europa

Cruzeiro Brasil-Europa

Cruzeiro Brasil-Europa

Cruzeiro Brasil-Europa

Cruzeiro Brasil-Europa

Bom gente, o post ficou GIGANTE! Mas acho que deu pra cobrir grande parte da dúvidas que vi a galera postando nos grupos do Facebook. Espero que ajude quem ainda está receoso de fazer essa viagem e qualquer coisa, postem aí nos comentários que a gente responde! <3

5 Pubs em Cork para visitar

Realizar um sonho é motivo de comemoração. Tirar aquela nota bacana na prova é motivo de comemoração. Aniversário do amigo é motivo de comemoração. Estar na Irlanda é motivo de comemoração. 

Assim como no resto do país, as pubs em Cork são bem diversificados e uma constante na listinha de afazeres dos jovens intercambistas – ou moradores, por assim dizer. Estar na Irlanda e não ir a um pub é o mesmo que não estar na Irlanda. Mesmo que não goste de beber – os pubs normalmente oferecem refrigerantes, sucos, pratos diversos – curtir um social com os amigos, comemorar qualquer que seja o motivo: um irish pub é sempre uma boa pedida.

Existem vários pubs em Cork para visitar, mas eu vou listar aqui 5 dos meus favoritos e deixem mais dicas nos comentários para quem está chegando!

1. Reardens: acredito que seja o favoritos dos brasileiros em Cork (confesso que nunca fui, mas vontade não faltou e não poderia deixar de fora dessa lista), o Reardens é localizado convenientemente no centrão de Cork: em plena e linda Washington Street. Ótimo para quem gosta de curtir uma música, dançar e badalar e também para quem curte acompanhar jogos de rugby ou futebol, haja visto que o pub oferece transmissões ao vivo dos torneios. Quem quiser comer um petisco, aqui também tem: começando do café da manhã a partir das 9:00am, passando pelo almoço e chegando nos petiscos para acompanhar aquela Guinness, o Readers vai te prender o dia inteiro se você tiver disposição – e dinheiro, claro. E detalhe importante: TEM WIFI! 😉

2. Soho Bar: esse eu conheci tarde! Como gostei desse lugar! Além de pub, o Soho também é restaurante (assim como a maioria dos pubs) e oferece desde café da manhã até seus drinks preferidos durante a noite. Atmosfera super gostosa e mega aconchegante, com porções e pratos de primeira qualidade. O Soho também faz a transmissão dos espetáculos esportivos para quem gosta e é um local desejado para fazer festas e comemorações, podendo ser reservado antecipadamente, com pacotes de food and drinks para sua festa. Ah, localização privilegiada também: basicamente na esquina da Grand Parade com a Washington Street.

3. Wetherspoon: esse aqui é o meu FAVORITO! Se tornou por conta da qualidade do atendimento e comida, mas mas ainda por conta do preço: aquele precinho amigo, bem camarada mesmo do bolso do intercambista (apesar de nos ultimos meses terem aumentado em 2 euros basicamente o cardapio inteiro!). O ambiente desse pub é bem familiar, não tem música ao vivo mas tem sempre bastante gente e vai ter barulho de conversa sim porque todo mundo gosta de falar alto! Cada dia da semana eles oferecem pratos especiais diferentes e com  preços bem amigos, então, vale a pena ir qualquer dia! Geralmente era nosso passeio de domingo ou o ponto de encontro com os amigos – deveriamos ter ganho um cartão fidelidade porque deixamos um bom dinheiro aqui, hein? hahahahahahahaha Staff sempre muito simpático e solicito e, apesar de novo em Cork já se tornou favorito de muitos!

4. Franciscan Well: tradicional pub em Cork, conhecido por sua cerveja artesanal. Acredito ser o melhor lugar para curtir com os amigos no verão, pois o pub tem um patio aberto que fica lotado de flores lindas na primavera e com o tempinho mais ameno da época, é impossivel não passar horas no lugar. Bom, bebendo a ótiva cerveja de fabricação própria deles, com certeza a fome vai bater e você vai AMAR a pizza feita na hora, ali mesmo. Você escolhe o sabor e os pizzaiolos preparam fresquinha pra você, sem demora. A massa é bem fininha e é uma delicia!!!!! Eu sou mega fã de pizza e sou bem rigorosa nessa parte e devo confessar que me surpreendi pela qualidade e sabor dessa aqui.

5. Mardyke: esse aqui não é bem um pub mas sim um complexo de pubs, rs. Aqui você pode acompanhar a transmissão do seu esporte favorito, enquanto come, bebe, joga snooker ou ping pong e até boliche! Pode arrasar cantando Whitney no karaokê ou simplesmente sentar e socializar com os amigos. O lugar é imenso e tem atividades para todos os gostos. Super fácil acesso, bem no centro de Cork, você pode programar sua festa de comemoração por aqui também que eles oferecem pacotes de comes e bebes, além de incluir algumas atividades.

Esses são os meus 5 pubs favoritos na cidade – óbvio que não existem só esses e vocês podem explorar cada um deles e deixar suas dicas e opiniões aqui também! 

Qual a melhor época para chegar em Cork?

Eu sei que estou em débito com vocês – alguns probleminhas técnicos por aqui e novidades em breve – mas não esqueci de vocês não, meu povo!!!!!! Continuem acompanhando, comentando e compartilhando que a gente gosta, tá?

O clima da Irlanda é um saco. Mas é um Saco, com S maiúsculo. Não, minto! É um SACO com todas as letrar maiúsculas. O incrível que já sabíamos disso antes mesmo de vir, mas mesmo assim, escolhemos essa ilha como nosso destino, totalmente conscientes. Mas olha, mesmo com toda essa consciência, eu vou ser sincera: você até se acostuma, se conforma digamos assim, mas aceitar? JAMAIS!

20160314_100103

Quando viemos eu não tinha noção mas hoje, depois de quase 1 ano de Irlanda, posso falar que escolher bem a época da sua chegada minimiza – e muito – a dores da adaptação a esse clima doido desse lugar.

Vamos começar com as estações: elas são opostas ao período no Brasil, ou seja, o inverno aqui é o verão no Brasil e assim vai.

Primavera – Fevereiro, Março e Abril
Verão – Maio, Junho e Julho
Outono – Agosto, Setembro e Outubro
Inverno – Novembro, Dezembro e Janeiro

Nós chegamos no comecinho de maio e, para nós, foi a melhor época para chegar. O fato é que: não importa a época do ano, você vai passar frio. Não tem escolha. Mas tem como passar mais frio ou menos frio. Esse é o X da questão. Chegando em Maio, pegamos um friozinho de transição primavera/verão. Usávamos casacos mais pesados e botas e estávamos felizes e quentinhos. A chuva não era tão constante e, quando acontecia, era geralmente no fim da tarde/noite. A temperatura foi aumentando gradativamente a medida que o verão ia ganhando espaço, porém, os dias quentes mesmo acontecem em um período bem curto então é bom aproveitar ao máximo. Embora a chuva seja uma companheira constante nessa época, ela é curtíssima e não impede a vida na Ilha ou seja, não tem muito com o que se preocupar – é bom que já vai acostumando com a presença da querida #sqn.

20151226_155228

Outra coisa importante é: os dias são super longos nessa época. 5 da manhã já tem um puta sol na cara – cortinas escuras são obrigação nos quartos – e se estende até 10 da noite. É nessa época que você vai aproveitar para passear e curtir o que a cidade tem de melhor a oferecer. É muito estranho, mas você acostuma – e depois de alguns meses já tem que aceitar a drástica mudança de 4 da tarde já estar a noite. É vida loka, mano!

Outono e inverno são os piores meses – é chuva dia e noite, noite e dia, frio, ventos, dias nublados, falta de sol e vitamina D, depressão total. E não é exagero – se você chegar nessa época, a depressão vai bater a porta e os riscos de ODIAR a Irlanda logo de cara são enormes. É mais fácil amar primeiro e depois ter a DR e saber que tudo passa – ou não, afinal já estamos no meio de Abril e a primavera não deu sinal de começar! 1 dia bom e 3 dias ruins e por aí vai.

20160112_141339

Mas nem tudo é ruim. Na época de verão é possível ver muito sol e céu azul, sair com uma blusinha leve e se você for corajoso, até arriscar uma bermudinha básica, mas como disse ali em cima, o período é curto mas é bem enjoyable. Muitas fotos lindas, com cores intensas, e cabelos ao vento porque esse, meu amigo, nunca te abandona!

20160218_103412

Contudo, a conclusão que chegamos depois desse primeiro ano é que: a melhor época para chegar na Ilha é no verão. Você aproveita logo de cara, se apaixona pelo lugar, tem tempo para se acostumar com as mudanças climáticas gradativamente e consegue conhecer a cidade, os pontos importantes e necessário sem ter que se preocupar se está chovendo.

Uma dica: o guarda-chuva NÃO é seu amigo na Ilha.

guarda-chuva-quebrado-62207879

 

 

St. Patrick’s Day em Cork

E a data festiva mais tradicional da Irlanda está chegando: St. Patrick’s Day. A Ilha Esmeralda se tornará ainda mais verde…

Quem é St. Patrick e porque comemoramos o dia?
Nascido na Grã-Bretanha e filho de pais ricos, Maewyn Succat foi sequestrado por irlandeses aos 16 anos e trazido para Irlanda para trabalhar como pastor. Durante seu período como escravo na Irlanda, voltou-se para religião e conseguiu fugir e voltar para Grã-Bretanha, onde focou seu tempo estudando religião, assumindo o nome de Patrick após virar um sacerdote cristão. Patrick acabou voltando para Irlanda, porém dessa vez, iniciando o processo de conversão dos irlandeses ao cristianismo. Vale mencionar que foi durante esse período que o famoso trevo foi usado para explicar a Santíssima Trindade e se tornando, posteriormente, um símbolo irlandês. Após 30 anos de dedicação ao ensino do cristianismo, Patrick acabou morrendo em 17 de março de 461 dC. Após sua morte, a Irlanda decidiu por criar o St. Patrick’s Day, comemorado no dia de sua morte, como homenagem ao padroeiro do país.

Por ser muito tradicional por aqui, o St. Patrick’s Day é muito comemorado, inclusive, por intercambistas e viajantes, pessoas que estão só de passagem e querem participar da festa. Tem muita gente que vem para Irlanda neste dia somente para comemorar e participar. É um dia de muita música, alegria, comida e bebidaimpossível não ser feliz com comida e bebida não é minha gente?

FOTO RETIRADA DO GOOGLE - NÃO TEM CRÉDITOS

Dublin é o destino certo para essa data, porém as movimentações acontecem em todo país. Aqui em Cork, por exemplo, a festa também é grande. Vai ter parada passando pelas principais ruas da cidade, vai ter barraquinhas com muita comida, vai ter muita música e muita gente verde! 

E a festa não vai parar quando acabar o dia não! Programação pesada para sábado e domingo também: muita música e performances com artistas de rua e mais comida! Para ficar por dentro do que vai rolar por aqui, o site oficial está recheado de atrações.

0063d

Bom, não importa onde você esteja, participar dessa festa é uma obrigação. Mergulhar nessa comemoração é mergulhar na cultura do país que você escolheu para morar/viajar/fazer intercâmbio! 

E fiquem ligados que o Próxima Curva vai fazer uma cobertura super bacana no St. Patrick’s Day aqui em Cork – não percam!