Au Pair na Irlanda. Essa é a solução para muitas das mulheres que vem pra cá aprender inglês. A ideia de morar com uma família nativa, cuidar das crianças e não se preocupar com pagamento de contas, falar inglês e ainda receber por isso é realmente muito atraente. Mas como conseguir? E como não cair em ciladas?

Não é só porque estamos na Europa que estamos livres de gente ruim, de trambiqueiros ou mesmo de perigo. É preciso muito cuidado, muita análise e muita conversa antes de aceitar um trabalho desse tipo, além de conhecer seus direitos e deveres ao aceitar. Não deixar a água bater na bunda e aceitar qualquer coisa que aparecer é a primeira das regras de sobrevivência de uma Au Pair, ou seja, o seu planejamento financeiro é essencial para não se ver obrigada a aceitar “exploração”.

A segunda regra clássica é: MINDER não é Au Pair Live Out. Não existe tal termo “Au Pair Live Out”. Ou você é Au Pair, ou você é Childminder/Minder. Essa é uma definição básica para seguir na busca por uma vaga desse tipo. E que tal incluirmos o termo BABYSITTER na jogada? Pois é, essa é outra função e é diferente das demais: nesse caso você toma conta de crianças ocasionalmente, ou seja, quando a família precisa e uma determinada quantidade de horas, que geralmente é a noite, mas lógico que pode acontecer em qualquer período, ok?

Como conseguir uma vaga de MINDER ou AU PAIR na Irlanda
Eu já falei aqui, aqui e aqui sobre links de onde procurar vaga e como consegui a minha vaga, que é de MINDER. Basta procurar as vagas e aplicar a elas e também cadastrar seu perfil nos sites que dispõem desse serviço – vale lembrar que não existe nenhuma agência qualificada a fazer o programa de au pair na Irlanda pois não há regulamentação. Se encontrar alguma e ainda que cobre um valor do aplicante FUJA, POIS É CILADA, OK?
Ao contatar a família, tenha em mente que você precisa de destacar dentre outras candidatas. Não pareça desesperada e se apresente, fale sobre você, de onde veio, onde está morando, conte um pouquinho da sua experiência e do porque está se candidatando a vaga e deixe a família confortável para entrar em contato com você caso assim deseje.

A família me respondeu, e agora?
Sem pânico. Já vamos praticar o inglês e tentar ao máximo não ficar nervosa e acabar esquecendo de alguma coisa. Normalmente você e as famílias vão trocar alguns emails ou telefonemas antes de efetivamente se conhecerem. Durante as primeiras conversas é crucial entender a vaga, ou seja, perguntar a quantidade de crianças, horas trabalhadas durante a semana (Lembrando que estudante pode trabalhar apenas 20horas semanais / part time), se a familia espera algum tipo de trabalho doméstico e se pagará a mais por isso, assim como no caso de babysitting ocasional. E, é claro, o crucial: O VALOR DO PAGAMENTO! O salário mínimo na Irlanda aumentou para 9,15 euros por hora, ou seja, o correto é que tanto AU PAIR quanto MINDER recebam ao menos o mínimo. No caso de AU PAIR, a família deve seguir a regulamentação de domestic worker e na imagem abaixo você pode ver quais são os direitos da AU PAIR:

http://www.mrci.ie/
No caso de uma MINDER, pergunte se, além do pagamento, a família irá colaborar com o transporte. Não é comum, mas pode acontecer então, vale a pena perguntar. Além de toda conversa relacionada ao pagamento, o trabalho deve ser entendido e compreendido por ambas as partes para que não haja surpresa – não que isso garanta alguma coisa, mas o combinado não sai caro. É bom que tudo isso seja formalizado – um email que seja – para que você tenha um respaldo no caso de alguma coisa sair fora do trilho.

Cuidado com ciladas
Como sabemos, tudo que seja online é arriscado, pois nunca sabemos quem está do outro lado. Então, tome muito cuidado, converse muito com a família e conheça pessoalmente a família e as crianças antes de tomar decisões. No caso de um encontro em pessoa, marque em um local público e, de preferência, leve um conhecido junto e avise amigos aonde estará e o horário. Todo cuidado é pouco e aqui também existem pessoas ruins e ninguém quer cair numa cilada, certo? Não coloque foto, telefone nem seu endereço nos seus anúncios e apenas forneça alguma informação adicional após trocas de email e quando você sentir segurança. Lembre-se: nunca sabemos quem (ou o que) está do outro lado.

O trabalho e as crianças
Antes de aceitar o trabalho, tenha certeza de que é isso que você quer e está de acordo com as suas responsabilidades. Não vai aceitar cuidar de um bebê se tem medo de pegar um no colo ou se realmente não sabe lidar, assim com qualquer criança. Paciência é crucial para um trabalho como esse: é cansativo e exige uma responsabilidade ENORME, então, tenha certeza de que você está apta para o trabalho antes de mesmo tentar. Não adianta você pensar “vou e fico uma semana e vejo no que dá”, muitas vezes você estará atrapalhando você mesma e uma possível família bacana usando-a como “experimento”. Tem muita família que pode ser exploradora sim, você deve ficar atenta, mas tem muita família boa que merece o mínimo de respeito.

Saber quais são seus direitos e deveres ao procurar uma vaga dessa e conhecer seus limites são requisitos básicos para alcançar o sucesso trabalhando com crianças. É gratificante, porém cansativo, mas é uma ótima opção para se manter por aqui durante seu intercâmbio e ainda praticar – e muito – o inglês, além de mergulhar na cultura do país. Aproveite!

Tem mais alguma dica? Compartilhe com a gente!

 

Author

Write A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.