Aluguel em Cork não tem sido tarefa muito fácil. A cidade passou por um período de crise intensa de moradia, onde estrangeiros contratados por empresas grandes como a VoxPro, não tinham condições de trabalhar pois chegavam aqui, vindos de seus respectivos países, e não encontravam vagas ou casas para alugar, mesmo podendo pagar um pouco a mais de aluguel. O presidente da VoxPro chegou a pedir para seus funcionários alugarem quartos em suas casas para essas pessoas para não perder seus funcionários novos.

Acontece que essa crise está passando, aos poucos. A época também ajuda: muita gente indo embora, finalizando seus períodos de intercâmbio e vagando casas ou quartos para os recém chegados aproveitarem. O que aflige o coração do intercambista, ainda, é o valor cobrado nos aluguéis, que tem subido consideravelmente.

Com tudo isso em mente, o Próxima Curva preparou uma lista de dicas – o que fazer e principalmente o que não fazer – quando o assunto é aluguel em Cork – e acredito que sirva para qualquer cidade também. E, para quem não viu, fizemos um guia com todo o processo que fizemos para o aluguel do nosso apartamento.

  1. Acomodação da escola: normalmente os estudantes pagam por duas semanas de acomodação, o que as agências prontamente afirmam e garantem que é tempo suficiente para encontrar uma vaga para alugar. É possível? É sim. É fácil? Não, definitivamente não é. Pense que em duas semanas você vai começar a estudar, você vai correr atrás de papelada do visto, vai conhecer a cidade, os bairros, aprender a andar pelas ruas e ainda procurar casa. O ideal, na minha opinião, são pelo menos 4 semanas de acomodação. E sempre existe o airbnb que é uma mão na roda; nos ajudou muito e a muita gente que conheço.
  2. Procurar vagas no Brasil: é válido e recomendo MUITO você acessar os sites de alugueis e ver as vagas que são anunciadas nos grupos do Facebook, até para se familiarizar com o que é oferecido, quais são os valores, contas, etc. Mas NUNCA tente reservar uma vaga enquanto estiver no Brasil. Como você vai se comprometer a fechar uma vaga sem nem mesmo conhecer o lugar, a casa ou apto? Dá uma segurada na ansiedade, se deixar o desespero tomar conta você pode fazer burrada. Sossega e espera chegar para se preocupar.
  3. Conheça as regiões da cidade: no dado momento de procurar casa você vai pensar “o que aparecer e der certo, eu fecho”. Aí você vai morar na casa escolhida, tira aquele peso das costas e depois de um tempo percebe que a região não é tão boa quanto você esperava: não tem mercado por perto, pontos de ônibus afastados, longe do centro. A melhor coisa para se fazer antes de procurar casa é conhecer as regiões da cidade. Aqui em Cork o centro é pequeno e normalmente de fácil acesso a partir dos bairros centrais. Mas, bairros mais afastados, é preciso de um pouquinho de paciência para explorar. A principio você pode achar que não faz diferença você andar 10 minutos a mais para ir no mercado, mas com o passar do tempo vai sentir na pele a diferença quando tiver que voltar do mercado com as compras no lombo, debaixo de chuva e levando vento da cara. Aí você vai lembrar “poxa, devia ter escutado a Nadine”.
  4. Cuidado com golpes: NUNCA, mas NUNCA pague nada antes de conhecer a casa, o seu quarto, e desconfie demais das coisas “boas demais para ser verdade”. Sabe aquele apto lindo que você viu no Daft e custava só 600 euros por mês? Aí você entra em contato com o anunciante e ele fala que está morando na Espanha e que irá mandar uma pessoa para mostrar o apartamento pra você APÓS o pagamento do depósito? Acho que não tenho nem o que explicar né? Infelizmente ainda tem gente que cai nesse tipo de golpe, levado pelo desespero, e infelizmente não adianta chorar pelo leite derramado, não é mesmo?
  5. Conheça as regras da casa: se você for morar em casa compartilhada, esteja ciente de todas as regras e tenha certeza de que você aceita ou está disposto a aceitar mesmo as coisas que não gosta. Quando você compartilha uma casa, é necessário que todos estejam na mesma página quando se trata de regras, pois são elas que regem a boa convivência entre os moradores. Não queira chegar e mudar tudo ou ser o folgado e não ajudar nos afazeres. Todo mundo está no mesmo barco e da mesma forma que você quer respeito, deve respeitar. E isso vale para todos: novos e velhos moradores da casa.
  6. Faça contatos: fazer bons contatos é válidos para tudo, inclusive na procura de casas. Muitas vezes um amigo tem um conhecido que está saindo e consegue te indicar para conhecer a casa e se candidatar a vaga antes mesmo de ser anunciada. Seja simpático, conheça as pessoas, pergunte sobre informações de casas ou vagas. Alguém sempre sabe de alguém e, querendo ou não, brasileiro ajuda brasileiro sim, somos uma família no final das contas e da mesma forma que alguém foi ajudado pode ajudar também.

 

Author

Write A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.